Venho por meio desta nota prestar meu apoio a todos os petroleiros e petroleiras do Brasil, que se encontram em greve por não aceitar que a maior empresa pública do nosso país seja entregue ao capital estrangeiro. Me solidarizo com todas as pautas de reivindicação da categoria, representada em todo o país pela Federação Única dos Petroleiros (FUP).

Me somo ainda ao grupo formado por mais de 40 organizações e movimentos sociais e sindicais que se posicionaram em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras da Petrobras e pela soberania da maior empresa pública do país. Esta categoria, que tanto produz e contribui para o desenvolvimento do nosso país, precisa ter seus direitos reconhecidos, recebendo seus salários com os reajustes necessários e tendo condições dignas de trabalho.

Entendemos que o momento é de ataques à Petrobras, seja por parte do capital financeiro, seja dos cartéis empresariais, seja da mídia golpista, com o objetivo de enfraquecê-la e justificar sua privatização. A privatização só beneficia o capital financeiro e causará perda de soberania além de grandes aumentos nos preços do gás de cozinha, combustíveis e demissões de trabalhadores e trabalhadoras.

Minha solidariedade se estende à luta pelo fim do ajuste fiscal do atual governo, que coloca sobre os ombros dos trabalhadores e trabalhadoras os efeitos da crise e amplia as dificuldades econômicas do Brasil. Assim como os petroleiros, defendemos a manutenção dos empregos e dos ganhos que a população teve nos últimos anos e lutamos para que os recursos do pré-sal sejam destinados integralmente para o desenvolvimento social do povo brasileiro: na educação, saúde, emprego e direitos.

 

Fonte: Ascom Parlamentar Dep. Ana Lúcia (Débora Melo)

Foto: César de Oliveira